sexta-feira, 6 de fevereiro de 2009

Cães abandonados - cada vez mais...

Infelizmente, muitos "proprietários" de animais ainda nos decepcionam quando o assunto é abandono. Cães e gatos, tanto adultos como filhotes, dão trabalho e despesas, e por isso que devemos pensar bem antes de adquirí-los. É preciso gostar, conhecer e estar certo de que é hora de ter um deles em casa, porque depois é só alegria, pois o carinho e a fidelidade que esses animais nos retribuem supera e torna prazeroso qualquer trabalho que eles possam nos dar, como por exemplo, trocar jornais com fezes e urina, comprar ração e colocá-la corretamente nos seus horários, ensinar-lhes as regras da casa, deixar de viajar algumas vezes, enfim, muitos outros cuidados que qualquer ser vivo necessita.

Resolvi escrever um pouco sobre esse assunto após ler uma matéria no jornal Metro de ontem, que dizia que denúncias de abandono de cães na cidade de São Paulo recebidas por instituto de proteção crescem 150% em janeiro deste ano, onde a média de ligações por dia nesse mês pulou de 100 para 250, segundo o diretor da IPAB (Instituto de proteção aos animais do Brasil) - como ele mesmo diz, "é uma verdadeira febre de irresponsabilidade". Ele diz que os abandonos normalmente aumentam no final do ano, no mês de dezembro, mas que em janeiro volta ao normal; diz acreditar que pode estar relacionado com a crise econômica que estamos enfrentando - "A pessoa fica sem dinheiro e estressada. Quem paga a conta é o animal", diz.

O CCZ (Centro de controle de zoonoses) relatou que abriga hoje cerca de 100 animais (cães e gatos), e a média de adoções em 2008 foi de 90 animais por mês, mas já a ONG Cão sem dono, possui no momento cerca de 90 animais, dos quais apenas 5 por mês, em média, recebem um novo lar.

Desde abril do ano passado, lei estadual proíbe o sacrifício desses animais, que era utilizado como método de controle populacional - muitos desses animais são portadores de zoonoses (doenças transmitidas para os seres humanos), deixando a 'saúde pública' em grandes riscos.
Portanto, como disse no início do texto, todos nós devemos pensar muito bem antes de decidir ter um animal de estimação em casa - procurar conhecer cada espécie, cada raça, enfim, todas particularidades e cuidados relacionados com cada um deles, para que a convivência seja excelente e só traga alegria para ambos. Orientem conhecidos sobre o assunto, e nunca apoiem compras por impulso, como acontecem, por exemplo, em shopping center que tem loja de animais com vários filhotes lindos na vitrine de vidro.
Eu tenho muitos clientes que estão optando pela adoção de cães e gatos, mas quando a opção é adquirir filhotes de raça, recomendo e indico bons criadores conceituados na nossa cinofilia e gatofilia, pois estes, diferentes dos comerciantes de cães, não vendem filhotes para qualquer um, e sim procuram conhecer as características dos interessados para ter certeza de que determinada raça se 'encaixe' na rotina e nos hábitos dessas pessoas, para não ter problemas no futuro, como por exemplo o abandono e maus tratos.
Vejam este vídeo e divulguem - mostra bem o que sente um cão abandonado, ilustrando um pouco do que estamos falando: http://www.youtube.com/watch?v=mBCAJhiaszM

2 comentários:

Bine disse...

Nossa, que chato! Por que será que aumentou tanto o abandono? Vc poderia colocar um link para aquele vídeo do youtube sobre abandono. Ele ilustra MUITO bem a sensação do cachorro ao ser abandonado... Afe. Bjs

Daniel Lima disse...

Oi Bine, vou tentar colocar o link sim - vai ficar bacana!
E sobre os abandonos, também acho que seja por causa da crise, pois um animal de estimação representa um gasto considerável na despesa de uma casa, principalmente se começar a apresentar alguns probleminhas de saúde.