quinta-feira, 4 de outubro de 2007

A fala dos cães

Uma das grandes dificuldades do Veterinário na prática da medicina, é que o animal, diferente do humano, não pode expressar o que sente. Os animais realmente não falam, mas se comunicam - e quem tem um bichinho de estimação sabe disso. Pensando nisso, trago hoje um trecho do livro 'Cão como nós', de Manuel Alegre (2007, p. 91):

Kurika, depois de 2 dias perdido, é encontrado e volta para casa:

"Dois dias depois o cão está de volta. Veio amuado, não ligava a ninguém.- O cão está zangado, não fala conosco - comentou um dos meus filhos. Era verdade. Durante uns dias o cão não falou. Digo bem: não falou. A fala é muito complicada. Está antes da palavra, como a poesia. E aquele cão falava. Falava com os seus vários modos de silêncio, falava com os olhos, falava com o andar, com as inclinações da cabeça, com o levantar ou baixar as orelhas. Daquela vez calou-se por completo. Não falou com nenhum dos seus sinais. Nem sequer com o silêncio."

4 comentários:

Daniel Lima disse...

Este texto eu tenho que agradecer à minha namorada Sabine, que elaborou tudo, querendo fazer uma homenagem a esse ser tão fascinante que é o cão!!!

verivet disse...

parabéns!!!!!!! para os dois, vc e asabine... adorei este texto.

Anônimo disse...

Adotei uma cocker de 5 anos há 2 semanas. Ela era muito mal tratada com os antigos donos. Está coberta de fungos. Um pecado. Estou tendo muito dificuldade para alimenta-la. Ela só come na mão. Com frequência ela arranha o cháo. O que isso pode significar?

Daniel Lima disse...

Arranhar o chão pode significar ansiedade e muitas outras coisas, portanto o correto é levá-la para uma consulta e orientações gerais de adaptação etc.
Boa sorte com ela.
Daniel Lima